À deriva do Marão

No passado sábado (1/12/07), fui "divulgar" os trilhos da descida do Marão a dois Bikers que não foram a ultima vez porque estava muito frio.
Pois ! Agora o dia não podia ter sido pior: frio, chuva, vento e muito nevoeiro.
Será que arriscamos a descida?
verdade, lá fomos ..., ainda me perguntaram se tinha a certeza, mas como tinha em mente alguns pontos de referencia, arrisquei. ("Não era que adiantasse muito, porque não dava para ver nada, mas ?")

Mal começamos a descer, paramos para retirar os óculos. O nevoeiro estava muito intenso e com a chuva não dava para ver nada. Víamos num raio de 5 metros no máximo. Começamos a descer sem perceber o rasto que deixávamos.
Na primeira paragem na eólica (referência), sabia que tinha que virar à direita e entrar por um singletrack, mas fomos sempre a direito (Só via-mos paredes brancas).

Apercebi-me que não tinha passado por aqueles trilhos! Não podia, entrar em stress, porque não víamos nada, o nevoeiro cada vez era mais intenso e estávamos no meio da serra.
Seguimos umas setas que nos levava para o destino desconhecido.











Sabia que o percurso rondava os 20km, já tínhamos 16 km e nada de conhecido.
Rolamos em sítios mais de 60km/h, o pessoal nem se apercebeu o que tinha à volta, caso corresse mal. Chegamos a uma aldeia perto de Baião, ou seja do outro lado da serra, onde perguntamos a um condutor o percurso de volta. O homem ficou parado sem palavras, porque não acreditava o que ouvia. Marcava trinta e tal km, e sabíamos que faltava um longo caminho para chegar ao carro.

Se descemos agora tínhamos que subir, foi um percurso violento até Amarante. Quando chegamos Amarante, tivemos que voltar para trás, porque os carros estavam no outro lado do monte, azar no meio dos azares.

Chegamos ao carro exaustos com sessenta e tal km nas pernas, frio e ....
Fomos buscar o outro carro às eólicas que demorou mais de uma hora porque o nevoeiro era tanto que não podíamos conduzir na IP4, imaginem agora nas eólicas !!!
Passamos mesmo ao lado do carro sem dar por ele, enfim à deriva do Marão.












Deu pelo menos ver como se portavam as novas suspensões Rock Shox Revelation dos dois Bikers.

3 comentários:

Anónimo disse...

Vou pedir ao Pai Natal uma bike como as vossas para depois vos acompanhar nessas aventuras outdoor (já que ando a treinar sem objectivos desde que terminaram as provas indoor :))

Cumprimentos,

Paula Martins

BTT Team Starbiker disse...

Ficamos à espera porque vais ter uma surpresa para o ano.

Anónimo disse...

Parabens!

Andar assim no meio do nevoeiro e dar 60km/h... deve dar cá um kick de adrenalina bem potente! Eh, eh!

Boa! continuem a divulgar as vossas aventuras.

Abraço,

JCR